Você tem medo de relacionamentos sérios e a ideia de se casar te apavora? Saiba que você não é o único e esta síndrome tem nome Gamofobia. O termo gamofobia vem da união de duas palavras gregas “gamos” que significa casamento e “phobos” que significa medo.

Ao contrário do que diz o senso comum que todas as mulheres querem casar e que os homens fogem do casamento, a verdade é que tanto homens quanto mulheres podem ser gamofóbicos. Ou seja, existem mulheres que tem medo de casamento, assim como existem homens que tem o sonho de se casarem.

A gamofobia é uma das causadoras dos términos de relacionamento e podem fazer a pessoa até evitar a relação. A pessoa evita entrar ou permanecer em um relacionamento sério mesmo amando e querendo estar com aquela pessoa.

Escute a minha entrevista na Rádio Record

Características

A gamofobia possui algumas características:

  • Irracional
    Ela faz a pessoa tomar atitudes que aparentemente não tem razão. Exemplo “Por que será que eu terminei com aquela pessoa? Isto não faz sentido! Mas mesmo sabendo disto eu terminei”.
  • Incontrolável
    Por mais que você queira casar e passar o resto da vida com a pessoa, você tem medo e se sabota a todo o momento.
  • Excessiva
    Ela faz você tomar atitudes desproporcionais, como por exemplo gritar, terminar repentinamente com a pessoa.
  • Persistente
    Se não receber o tratamento adequado, ela pode permanecer a vida inteira, impedindo a pessoa de entrar em uma relação e se relacionar, mesmo ela tenha encontrado o “par perfeito”.

Possíveis causas

As possíveis causas geralmente estão ligadas a traumas, principalmente relacionado a infância, que podem ter sido vividos por você, pelos meus pais ou por pessoas próximas, como por exemplo seus irmãos.

Quando nós vivemos um trama, o inconsciente pensa: “se aconteceu algo no passado, logo vai acontecer isto no futuro de novo”.

Exemplos de traumas de infância

  • Traição dos pais
    “meu pai traía a minha mãe e eu tenho medo de trair / ser traída”.
  • Abandono dos pais
    “Meu pai abandonou a minha mãe, logo eu tenho medo de abandonar / ser abandonada também”.
  • Agressão física
    “Minha irmã era agredida pelo marido, logo tenho medo e ser agredida / agredir também”.

Decisões inconscientes

Quando este trauma é feito na infância, o inconsciente gera uma série de decisões que serão levadas para a vida inteira. Existem 3 decisões típicas: repetir, fazer o oposto e evitar.

  • Repetir
    “meu pai traiu a minha mãe, logo eu vou trair todas as minhas mulheres”.
  • Fazer o oposto
    “meu pai traiu minha mãe, logo eu nunca vou trair alguém”.
  • Evitar
    “Se o relacionamento está ficando sério, eu preciso sair correndo”.
    Este terceiro tipo de comportamento é típico de quem sofre de gamofobia.

Os traumas geradores da gamofobia podem ter sido causados na vida adulta, por exemplo o seu próprio casamento. Exemplo “Pablo eu fui traído, fui abandonado, eu não fui feliz no meu casamento, então eu tenho medo e não vou me casar nunca mais”.

Apesar dos traumas poderem ter sido causados em qualquer momento da vida, aqueles causado na infância tendem a ser mais danosos.

Sintomas

A gamofobia pode gerar uma séria de sintomas comportamentais e inclusive físicos.

Sintomas comportamentais

  • Evitar ir em casamentos
    Não consigo ir a casamentos, nem de amigos próximos pois me sinto mal”.
  • Causa brigas desnecessárias
    “Eu crio problemas com tudo para que a pessoa termine comigo e assim não precise me casar”.
  • Agressividade excessiva
    “Eu sou super tranquilo, mas perco o controle quando fala de casamento.”
  • Esquecer datas importantes
    “Eu esqueci o dia do meu próprio noivado”.

Sintomas físicos

Em níveis elevados os sintomas também pode ser físicos, muito parecidos com os sintomas de pânico.

  • Tremores;
  • Choro;
  • Desconforto abdominal;
  • Nauseas e vômitos;
  • Batimentos cardíacos acelerados;
  • Dificuldade para respirar;
  • Tontura e desmaio
Estes sintomas podem ser causadas por situações rotineiras do casal, como por exemplo quando se começam as conversas sobre o casamento. Até mesmo um pensamento sobre o matrimônio, ou ver fotos de casamentos dos amigos podem gerar os sintomas.

Não confundir com medo normais

É muito importante nós diferenciarmos as preocupações normais de um casamento, como por exemplo: “Será que é a pessoa certa? Será que é o momento certo? Será que temos as condições financeiras para dar este passo?”

Estas preocupações são justificáveis, pois você está dando um passo muito importante na sua vida. Mas quando a gente fala dos medos inconscientes, eles são completamente irracionais e incontroláveis.

A pessoa que tem medo inconsciente, por mais que ela queira passar o resto da vida com a pessoa, ela acredita que é impossível ser feliz no casamento, mesmo que todos os amigos digam o contrário, a pessoa simplesmente não acredita nisto.

Assim como é difícil para uma pessoa que não tem medo de borboleta entender como alguém poderia ter medo de borboleta, também é difícil para alguém que tem o sonho de casar, entender uma pessoa que tem medo de casamento.

Os problemas da gamofobia

Não existe problema nenhum na pessoa decidir não se casar, mas o problema da gamofobia é que ela tira a liberdade da escolha. Ou seja, mesmo que “eu escolha me casar, eu nõo consigo, pois o meu inconsciente me sabota a todo o momento”.

Para a pessoa que é gamofóbica, ficar problema não é um problema, porque ela tem medo de se relacionar e até gosta de ficar sozinha. O ponto de dor é perder a pessoa amada, é perder a convivência, é de querer estar com alguém mas estar impossibilitado por uma questão interna.

O sofrimento está em amar e querer estar com alguém, mas ao mesmo tempo fazer a pessoa sofrer, através de atitudes inconscientes que ela não gostaria de ter feito, se arrepende, e faz o outro sofrer.

O que fazer?

Uma das formas muito poderosas de dissolver a gamofobia é através da hipnoterapia. Através das regressões é possível chegar naquele dia que a fobia começou e falar para a criança, que entende que isto é um mecanismo de defesa dela. Que ela precisou evitar os relacionamentos por todos estes anos porque foi a maneira que ela acreditava que não passaria por aquele trauma também. Mas agora que ela é uma pessoa adulta ela pode escolher outra alternativa. Como por exemplo, ela pode escolher ser livre para ser feliz no casamento.

A hipnose é muito efetiva nestes tratamentos pois ela trabalha diretamente no sistema límbico, que é a região do cérebro onde estão localizado os nossos traumas infantis.

Você percebeu que sofre de gamofobia e isto fez o seu relacionamento terminar?
Se sim, eu posso te ajudar. Clique aqui em ajuda profissional.

Deseja a minha ajuda profissional? Clique aqui

Deseja a minha ajuda profissional? Clique aqui

Me conte a sua história

Agora nos conte a sua história. Você já teve medo de ter um relacionamento sério e de se casar e conseguiu superar? Como você fez isto e que lições você aprendeu?

Por favor, nos compartilhe com o máximo de detalhes pois a sua experiência pode mudar a vida de outras tantas outras pessoas.

Gratidão por ser autêntico, corajoso e inspirador nos seus comentários.

Um abraço apertado sem medo de ser feliz

Pablo Tuffano