Uma traição, um rompimento traumático, um abandono, um desgaste emocional muito grande… Tudo isso te fez chegar até aqui. Como esquecer o ex?

Eu imagino como você se sente. Não importa quais foram os motivos que te trouxeram aqui, você não está vivendo o relacionamento que você queria. As coisas não terminaram como você queria, e você está sofrendo.

Você sente uma dor no peito que te esmaga, um nó na garganta, e você não para de pensar no seu ex. Você acorda e dorme pensando nele, e a vida começa a andar pra trás. A vontade de se cuidar some e você se abandona, preferindo ficar em casa, às vezes comendo muito, deixando de comer…

Frequentemente, esses são os sintomas de um coração partido. Por causa de um relacionamento, sua vida desanda. É por isso que nessa aula eu vou te ensinar como parar de sofrer por esse relacionamento. e a sair desse estado de crise que te paralisa.

Não é truque, nem mágica. Na internet você encontra muitas formas de esquecer o ex que não funcionam, como por exemplo, pense em outra coisa, saia com os amigos, se dedique a hobbies, apague as fotos… Garanto que você já tentou tudo isso e mesmo assim, seu pensamento está fixo nessa pessoa.

Nessa aula eu vou te ensinar um conteúdo profundo sobre como funciona o seu cérebro nesse momento de crise e entendendo o mecanismo, como você pode encontrar a saída.

Desapegar não é Esquecer

Assim sendo, quando falamos sobre esquecimento, pensamos numa fórmula mágica de apagar aquela pessoa ou lembrança da nossa mente. Não é preciso esquecer sua histórias ou os seus amores.  Não é isso que vamos aprender. Vamos aprender sobre o desapego.

Portanto, uma das características do apego é o pensamento repetitivo. O pensamento repetitivo causa muito sofrimento porque você revive a situação dolorosa várias vezes.

Por exemplo, vou te contar a minha história.

Eu lembro do dia que um relacionamento tinha acabado e eu me matei chorando por três dias. Liguei para um amigo e não conseguia falar. Até que lembrei que um grande amigo coach havia me ensinado uma técnica de meditação que veio da Índia e que era ótima para se despedir das frustrações do passado. Nessa época eu já trabalhava com hipnose.

E eu pensei, será que se eu usar esta técnica aqui, sozinho no meu quarto, isto funciona? Trinta minutos depois, o sofrimento acabou.  Ficou o amor por ela, saiu o sofrimento. Mas eu guardei isto pra mim.

Passou um tempo, eu fui numa aula de ioga e encontrei uma mulher, que queria esquecer o ex e não conseguia. Foi assim que apresentei a ela a Meditação da Despedida. Quando fizemos, ela começou um processo de se despedir, ela chegou na descoberta de que queria que o ex fosse pai do filho dela.

Fizemos uma despedida e logo depois de três dias, ela teve uma recaída por conta do seu desejo sexual. Aí voltamos a fazer outra despedida na parte sexual e ela se libertou.

Em resumo, isso foi tão impactante pra mim que decidi estudar hipnose e me tornar uma autoridade no assunto. E com isso, vieram mais pessoas e mais resultados.

Os Erros que Muitos Cometem

“Um amor cura o outro”

Frequentemente ouvimos esse conselho de amigos e da nossa família. Às vezes pode até funcionar, porém tende a ser muito perigoso. Porque? Porque  se você não esquecer o passado, a tendência é levar seu passado com você pra essa história e não estar inteiro nessa relação. E essa relação que poderia dar certo se você não estivesse de coração partido, acaba dando errado.

“O tempo cura tudo”

Acreditamos que somos capazes de esquecer uma história que nos marcou com o tempo. E realmente podemos, de forma consciente. Porém, nosso inconsciente tende a armazenar essas memória e com elas os sentimentos associados. O resultado tende a ser o passado voltar a te assombrar no melhor momento da sua vida e estragar tudo. Esperar o inconsciente destravar sozinho pode significar dizer NÃO pra sua felicidade.

Eu já atendi pessoas que ficaram presas num relacionamento durante vinte e seis anos! Depois do processo, a pessoa me disse que já não se impressionava com mais nada, mas estava impressionada com o meu método.

Como funciona o Seu Cérebro

Se voltarmos nossa atenção aos nossos pensamentos repetitivos, o que esses pensamento te dizem?

“eu terminei com ele, e ele está com outra”

“ele faz com ela tudo que não fazia comigo e eu não aceito perder”

“a relação está ruim, mas tenho medo de ficar sozinha”

“minha cidade é pequena, não vou encontrar outra pessoa”

“eu não sou boa o suficiente, ele tem tudo o que eu não tenho”

Em todos esses casos, existe uma semelhança. O fato de que essas pessoas não estavam sofrendo por amor e sim por outra coisa. Por exemplo, o fato de perder demonstra uma competição. Outra é o medo. A outra a escassez, de amigos ou de conhecer outra pessoa.

Nenhum desses sentimentos é amor. Esses outras sensações é o que eu chamo de apego. E é justamente esse apego que causa sofrimento. O amor não gera sofrimento. Assim sendo, o que causa seu sofrimento é o apego.

Em outras palavras, apego é como um virus de computador que dispara quando um relacionamento termina e deixa sua maquina interna em pane. No meu trabalho, o que eu faço é limpar esses virus de computador, e isso elimina o sofrimento.

Mas se eu te disser que você, por exemplo que você está competindo com seu ex, por mais que você entenda que faz sentido de forma racional, você não consegue mudar seu comportamento, não é verdade?

E porque isso acontece?

Entendendo seu cérebro

Nosso cérebro é dividido em duas partes. Uma é o nosso neocórtex, responsável pela linguagem, e identificação de padrões. A outra parte é o nosso sistema límbico, que é responsável pelas emoções e pelo inconsciente. É o seu inconsciente que faz você agir como você age.

De onde vem as sensações de rejeição, de não ser suficiente, de perda? Vem de hoje ou de agora? O límbico também guarda nossas crenças de infância. Muitas vezes essa sensação de rejeição acompanha você a vida toda, porque você tomou uma decisão inconsciente de se sentir assim.

Por exemplo: Uma vez atendi uma mulher que era a outra. Ela não queria ser a outra, mas não conseguia sair daquela situação. Quando começamos a entender o que se passava, ela se lembrou que tinha um irmão que era um garoto problema, e ela sempre ficava como segunda opção. Portanto ela estava repetindo as suas memórias de infância na vida adulta.

Na hipnose, nós cuidamos dessa criança interior e a partir de então, essa mulher pode se libertar da crença que ela sempre era segunda opção e esquecer seu ex.

Em resumo, ela se libertou cuidando da criança interior.

Como o Inconsciente Te Sabota

Primeiramente é preciso entender que quando criamos traumas na infância, nosso inconsciente age de três formas. Acreditamos que as coisas que aconteceram no passado vão se repetir no futuro. Essa é uma verdade que o teu inconsciente pode estar te contando e fazendo você repetir relacionamentos infrutíferos. Podem ser coisas mais bobas, como bater o joelho e ficar sozinha chorando, e assim, serei sempre abandonada. Essa é uma crença que também pode estar sabotando sua felicidade.

  1. Resignação

A resignação é quando você escolhe inconscientemente viver a história da infância. Por mais que você não queira viver aquela situação, você continua vivendo e repetindo a mesma história.Por exemplo: “Meu pai abandonou a minha mãe, logo eu também serei abandonada” e assim, você passa a escolher de forma inconsciente homens que vão te abandonar.

Por exemplo, atendi um caso de uma mulher que se apaixonou por um homem que a maltratava, bebia e fumava. Pela lógica, ninguém gosta de homens assim. Mas era o caso dessa mulher, que logo percebeu que gostava desse homem porque bebia e fumava como seu pai.

Quando a convidei para não buscar o amor do seu pai em outros homens, ela percebeu o que estava fazendo com ela mesma! Revivendo seu passado, tentando compensar sua criança interior. Ela deu um grande salto na vida entendendo que poderia amar o pai como ele era, e viver um amor como ela merecia.

 

       2) Hipercompensação

Pelo medo da sensação de falta, abandono, etc… que o trauma causou, o inconsciente tenta compensar essa falta de alguma forma. Por exemplo, no caso do ciume possessivo, quando alguem sufoca tanto o outro que acaba por perder e afastar a pessoa que ama.

       3) Evitação

A evitação funciona como uma forma de autossabotagem muito eficiente e cruel. Por exemplo, você diz que quer muito um relacionamento sadio, mas quando ele acontece a primeira reação é fugir reforçando alguma crença, como a de que os homens não prestam. A pessoa arruma formas de arruinar o relacionamento.

Existem casos de pessoas que até traiam pra que o relacionamento terminasse! Porque assim o outro teria um motivo. A pessoa arruma motivos como brigas, problemas e tudo que de alguma forma acabe com a relação.

E por mais que a gente entenda isso racionalmente, são movimentos inconscientes que nos levam a agir de formas que não gostamos. E uma das maneira mais efetivas que existem, é olhando essas decisões inconscientes, trabalhando com elas e alinhando o inconsciente com o racional. E com isso o sofrimento acaba, porque as decisões que causavam apego (escassez, competição, comparação) que vinham da infancia, são cuidadas.

Conte com minha ajuda

Sou coach de relacionamentos e hipnoterapeuta do amor. Se esse conteúdo faz sentido pra você, e você entende que o fim da relação dói tanto porque ele serve como gatilho que desperta vários mecanismos em você, como se colocasse todo lixo emocional pra fora e por isso você sofre tanto, essa pode ser uma excelente oportunidade pra você se reconstruir, esquecer o ex e mudar de vida.

A hipnoterapia, como foi dito antes, é uma técnica muito eficaz. Descobrir a origem dos problemas é a melhor forma de entender como eles devem ser solucionados, e isso vale para tudo, portanto, com relacionamentos não poderia ser diferente.

Para você ter o meu acompanhamento profissional, clique aqui

Deseja a minha ajuda profissional? Clique aqui

Deseja a minha ajuda profissional? Clique aqui

Que tal me contar exatamente sobre o que você está passando? Nós podemos solucionar esse problema juntos. Seja detalhista, conte-me se tem medo de relacionamentos, ou mesmo se está envolvido com uma pessoa que tem medo disso.

Eu preciso saber de tudo mesmo, pra que consiga te ajudar de forma eficaz, afinal, viver fugindo da felicidade é algo muito triste, e você está certíssimo em ter vindo procurar ajuda.

Seus comentários também ajudam pessoas que estão passando pelo mesmo problema, mas que não têm coragem de falar sobre ele, portanto, me ajude e seja uma inspiração. Eu agradeço muito!